07 jun

Em pronunciamento, nesta quarta-feira, 7 de junho, o deputado estadual Capitão Wagner (PR) ressaltou a importância do trabalho da polícia federal, do Ministério Público Federal, a Justiça Federal e de todas as instituições pelo trabalho feito na operação Lava Jato.

O parlamentar enfatizou que este mesmo grupo de instituições tem atuado também no Ceará, a partir de uma ação do Ministério Público Federal (MPF) e da Justiça Federal, ontem foi noticiado em todos os veículos de imprensa do Estado uma denúncia que tornou o ex-governador Cid Gomes (PDT) réu em um processo criminal, segundo a Justiça Federal, por conta de um empréstimo conseguido de forma irregular junto ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB). “Temos que fazer uma cronologia do que ocorreu até se descobrir isso. Primeiro havia um terreno no município de Sobral que, inclusive, não permitia pela localidade, que se construísse ali um galpão. A mando do ex-governador foi alterada a lei de uso e ocupação do solo, plano diretor do município de Sobral e a partir de então se tornou possível construir aquele equipamento. Segundo a revista Época, em janeiro de 2014, o então governador já acertava um acordo com a empresa Itaipava, um aluguel de um galpão que já seria construído. Na sequência manda construir a estrada que leva da cidade até o local que se encontra o galpão”, lembrou Capitão Wagner.

“O relato que farei agora é algo que nos intriga pela riqueza de detalhes que o Ministério Público Federal e a Justiça Federal apontaram. No dia 27 de agosto de 2014 se iniciou na agência do BNB de Sobral um processo para concessão de um empréstimo de mais de R$ 1 milhão. No dia 29 de agosto, dois dias depois, os membros da central de crédito de clientes do varejo do Estado do Ceará, gerente de executivo e analista já concedem e constam que o pedido é cabível e que o recurso já estaria a disposição,” relatou.

Capitão Wagner lembrou que há alguns dias Cid Gomes convocou uma coletiva de imprensa na Casa Legislativa e disse que, depois de 30 anos de vida pública, que possuía um patrimônio de cerca de R$ 700 mil. “Existe uma contradição nessa fala. Ontem a imprensa interpelou o mesmo Cid Gomes que veio à Casa para dizer que tinha, de patrimônio R$ 700 mil, sobre as irregularidades na concessão desse empréstimo. Cid Gomes disse que tinha dado como garantia ao banco de R$ 4 milhões. Vemos aí uma contradição entre a fala de quem tava se defendendo de uma acusação de um delator da JBS e de quem estava se defendo da acusação de um empréstimo no BNB”, disse.

O deputado relatou ainda que circulam nas redes sociais um vídeo da construção de um empreendimento imobiliário, onde o sócio da empresa também é Cid Ferreira Gomes. O parlamentar trouxe à tribuna um documento com o nome dos proprietários da empresa que leva o nome de Condomínio Terra Nova & Comunicações LTD, Antônio Disraeli Azevedo Ponte e Cid Ferreira Gomes. Segundo o deputado, Antônio Disraeli é o proprietário da empresa Easy Táxi Aéreo, “que de acordo com a imprensa, quando foi celebrado o primeiro contrato com de locação de aeronave, com o Estado do Ceará, nenhuma aeronave existia para oferecer o serviço”.

Verificado no Portal da Transparência, registra-se que de 2007 para cá essa empresa já recebeu dos cofres públicos do Estado do Ceará, cerca de R$ 58 milhões. “Fica comprovado, com a documentação que tenho em mãos com todas essas denúncias, que a empresa Easy Táxi Aéreo, a qual o sócio presta serviço não só para o Governo do Estado, mas presta serviço também para a prefeitura de Sobral. Quero registrar ainda que todas as investigações realizadas trazem uma série de crimes ambientais identificados na construção do empreendimento lá na APA da Serra da Meruoca,” denunciou.

Para finalizar, Capitão Wagner chamou atenção da Comissão de Meio Ambiente da Casa, para verificar se há alguma irregularidade nessa construção na APA da Meruoca, uma vez que o Ibama já embargou a obra.

Deixe um comentário